Notícia

PLANEJAMENTO, GESTÃO E PATRIMÔNIO

Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio
Quarta, 28 Janeiro 2015 15:21
Gestão Pública

Novos secretários de administração se reúnem em Brasília

Reunião extraordinária apresenta os novos conselheiros e define a diretoria para conduzir os trabalhos do Consad no biênio 2015/2016

Christian Teixeira em Reunião Extraordinária do Conselho Christian Teixeira em Reunião Extraordinária do Conselho (Foto: Ascom)
Texto de Ascom Seplag

Os secretários e representantes de Estado da Administração/Gestão de Alagoas, da Bahia, do Espírito Santo, de Goiás, do Pará, da Paraíba, do Rio Grande do Norte, de Santa Catarina e do Distrito Federal se reuniram, nesta segunda-feira (26), para definir a diretoria do biênio 2015/2016. O encontro, que acontece no Hotel Culliman, em Brasília, tem a coordenação da presidente interina do Conselho Nacional de Secretários de Estado da Administração (Consad), a Secretária de Estado da Administração do Pará, Alice Viana.

Na cerimônia de abertura, Alice Viana deu às boas vindas aos novos conselheiros e agradeceu pela presença de todos, especialmente neste momento em que se inicia uma renovação nos estados e a agenda dos secretários é mais concorrida. Ela aproveitou para ressaltar a importância e a responsabilidade que cabe ao colegiado de fortalecer a gestão pública do País. “Precisamos tornar o Consad mais ativo, ainda mais nesta época de crise que passa a nação brasileira e que nos afetará diretamente”, frisou.

A presidente interina falou do papel democrático e de interesse público do Conselho, que está sempre à frente das diferenças partidárias. Ela ainda traçou a evolução histórica da instituição, detalhando ações promovidas desde 2000, ano de fundação do Consad. A ideia era deixar os novos Secretários a par de todos os projetos e programas implementados, bem como aqueles que estão em andamento na entidade.

Segundo Alice Viana, um dos grandes desafios do colegiado para este ano é ajudar a organizar e aprimorar a gestão fiscal e financeira, focando na qualidade do gasto nos estados. “Nesse sentido, uma ação de extrema importância foi a iniciativa conjunta do Consad, do Conseplan e do Confaz, em novembro de 2014, que fortaleceu os estados e teve uma resposta mais adequada da União”, salientou.

TROCA DE EXPERIÊNCIAS

Para a Secretária de Estado da Gestão e Recursos Humanos do Espírito Santo, Sandra Bellon, “o Consad é um importante fórum de discussão para os que assumiram uma pasta de grande relevância e complexidade na Administração Pública”. A Secretária de Estado da Administração da Paraíba, Livânia Farias, concorda: “o Conselho reúne o que há de melhor para fazer em prol da gestão pública. É daqui que tiramos muitos exemplos para aplicar nos nossos estados”.

O Coordenador de Programas de Modernização da Secretaria de Estado da Administração de Santa Catarina, Jair Silveira, ressaltou que frequenta os encontros da entidade desde 2007. “O Consad é uma escola, principalmente na área administrativa e de organização. É só frequentando que sabe o quanto se aprende”, avaliou. O Secretário de Estado da Administração do Piauí, Francisco José Alves, acredita que “o fórum realizado pelo Conselho é um local de partida de experiências e crescimento conjunto”.

De acordo com o Secretário de Estado do Planejamento e Gestão de Alagoas, Christian Reis, “o Consad será uma excelente ferramenta para trocar ideias e experiências a fim de solucionar as dificuldades em comum dos estados”, observou. Para o Secretário de Estado da Administração da Bahia, Edelvino Goes, este ano o colegiado “terá uma missão fundamental, inclusive por conta das restrições fiscais impostas. É essencial que a agenda que o Consad executa tenha continuidade”, alertou.

O Secretário de Estado da Administração e dos Recursos Humanos do Rio Grande do Norte, Gustavo Nogueira, comentou a alegria de poder retornar aos debates deste Colegiado. Ele, que foi presidente do Conseplan, disse que é preciso atentar para o que vem pela frente: crise, arrocho monetário, ajuste fiscal e projeção menor do PIB. “Isso impacta fortemente receitas dos estados. Então, é fundamental articularmos ações conjuntas com outros conselhos para solidificarmos as preocupações”.