Notícia

PLANEJAMENTO, GESTÃO E PATRIMÔNIO

Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio
Sexta, 13 Fevereiro 2015 16:06
mesa de negociação

Governo e militares definem reajuste salarial da categoria

Reajuste de 16,84% será parcelado, com direito a uma folha suplementar, com valor referente à tabela de janeiro

Governo e militares dialogaram muito para se alcançar um consenso. Governo e militares dialogaram muito para se alcançar um consenso. (Foto: Ascom)
Texto de Marília Morais e Beatriz Nunes

Passou pela Assembleia Militar a proposta de reajuste salarial apresentada pela Mesa de Negociação Permanente do Governo. Uma folha suplementar será rodada para contemplar o reajuste escalonado de 16,84%.

Durante encontro realizado na manhã desta quinta-feira, 12, entre os secretários de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio, Carlos Christian Teixeira; da Defesa Social, Alfredo Gaspar de Mendonça; comandante da Polícia Militar de Alagoas, coronel Lima Júnior; e o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Adriano Amaral; além de representantes das associações militares definiram os pontos do reajuste salarial da categoria, aprovados na noite desta quinta.

Ficou definido que será implantado, de maneira imediata e em folha suplementar, valor referente à tabela de janeiro, de acordo com o que está definido em Lei. Seis por centro serão pagos em imediata folha suplementar agora em fevereiro e os outros 10,84% serão divididos em três parcelas a serem pagas em julho/2015, janeiro/2016 e abril/2016, todos com base na tabela de janeiro/2015.

Outros pontos que ficaram acordados foram em relação à apresentação de uma nova proposta da Lei de Promoções, a estudos para implantação efetiva do Serviço Voluntário Remunerado, bem como à criação de um novo Quadro de Acesso com a fixação de efetivo, de maneira que sejam abertas novas vagas para cabos, terceiros-sargentos, subtenentes e oficiais dos quadros combatente e administrativo. Dentro do prazo de 90 dias, as propostas deverão ser apresentadas ao Gabinete Civil.

O desejo do governo de buscar a conciliação e o consenso entre servidores e Estado foi reforçado por Christian Teixeira. “Nós estamos aqui nesta mesa reunidos em torno de um único objetivo. Aqui não há vencedor ou vencido, mas uma nova forma de governar que pretende dialogar com todos para que juntos possamos chegar a um consenso”, destacou.

O comandante-geral da PM destacou que este representa o primeiro passo para grandes conquistas que ainda serão alcançadas.

“Este foi um começo que contou com o apoio do governador Renan Filho e do secretário Alfredo Gaspar. Para a equipe de gestão atual do Estado, a segurança pública é prioridade, inclusive atender às demandas da nossa categoria. Conseguimos manter o que foi acordado na gestão passada e todo nosso empenho visa senão o benefício dos nossos policiais e iremos continuar trabalho neste intuito, em prol da nossa tropa”, frisou Lima Júnior.

O pagamento de 6% em folha suplementar referente ao mês de janeiro deste ano será realizado nos próximos dias. O Serviço Voluntário para os militares, conhecido como Bico Legal, a “Lei das Promoções” e normas para “Lei da Fixação do Efetivo” das corporações PM/BM e promoção por tempo de serviço também foram debatidos durante a reunião.