Notícia

PLANEJAMENTO, GESTÃO E PATRIMÔNIO

Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio
Terça, 23 Março 2021 19:52
VALORIZAÇÃO DO SERVIDOR

Agentes das forças de segurança receberão salário dentro do mês trabalhado

Com inclusão da categoria a partir de março, Governo alcança marca histórica ao contemplar 95% dos servidores públicos com a folha de pagamento em dia

O anúncio do pagamento dos salários dos agentes de segurança dentro do mês trabalhado foi feito pelo governador Renan Filho nesta terça (23) O anúncio do pagamento dos salários dos agentes de segurança dentro do mês trabalhado foi feito pelo governador Renan Filho nesta terça (23) Marcio Ferreira
Texto de Agência Alagoas

Os agentes das forças de segurança do Estado terão, já a partir de março, o pagamento da folha salarial inserido no mês trabalhado. O anúncio foi feito pelo governador Renan Filho durante coletiva à imprensa realizada no Palácio República dos Palmares, na manhã desta terça-feira (23). Com inclusão da categoria – excluindo-se delegados de Polícia Civil e oficiais da Polícia Militar (PM) e do Corpo de Bombeiros (CBM) –, o Governo de Alagoas alcança marca histórica ao contemplar 95% dos servidores públicos com os salários em dia. 

“É um momento de valorização do servidor. Depois de muitos e muito anos, o Estado reconhece o direto do servidor que é receber no mês trabalhado. Isso é a regra”, aferiu o governador Renan Filho. “O Estado de Alagoas se planeja e tem condições de cumprir o que acerta. No próximo mês, garantiremos os salários em dia dos 5% restantes”, assegurou o gestor, sobre o que considerou “uma cruzada iniciada desde o mês de janeiro” para que todos os servidores, ativos e inativos, tenham a remuneração disponível na conta ao dia 30 de cada mês. 

A primeira categoria beneficiada foram os servidores da Saúde e da Universidade Estadual de Ciências da Saúde (Uncisal). Em fevereiro, passaram a receber os trabalhadores da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), incluindo os da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal). Com a inclusão da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) decretada nesta terça (23), em abril, o Governo do Estado vai alcançar 100% das carreiras do funcionalismo ao acrescentar os auditores fiscais e procuradores de Estado, além dos delegados de polícia e oficiais da PM e CBM.

A medida gera efeito imediato na economia alagoana ao injetar de 266 milhões de reais em 2021. Diante do cenário de pandemia e crise econômica, a antecipação dos recursos se torna tão simbólica quanto oportuna, como atesta Renan Filho. “Isso faz a economia girar mais rapidamente, garante a permanência das pessoas nos empregos e, eventualmente, estimula a geração de novos empregos”, apontou o governador, ao lado dos secretários de Estado da Fazenda (Sefaz), George Santoro, e do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag), Fabrício Marques.

“Os recursos ajudam a economia a funcionar e a manter emprego no estado. Isso é muito importante nesse momento. Ao ter mais um grupo em dia, a gente coloca a economia pra rodar um pouco mais neste mês de março”, assentiu o secretário George Santoro. 

Já o representante da Seplag detalhou como o ajuste no pagamento penhora segurança adicional na prestação de contas com os servidores. “Se, um dia, lá na frente, eventualmente, o Brasil viver uma nova crise – a gente espera que isso não aconteça –, e Alagoas voltar a sofrer e, eventualmente, algum governante precisa atrasar salário, ele vai voltar para, no máximo, o dia 10. É mais uma garantia que damos ao servidor”, explicou o secretário, ao acrescentar que todo o funcionalismo da área administrativa com salário líquido de até 7 mil reais também foi incluído na nova resolução. 

Modernização da gestão

Mesmo com o agravamento da turbulência econômica provocada pela pandemia, que afetou diretamente a arrecadação no país em 2020, Alagoas se torna, mais uma vez, referência nacional na administração das contas públicas. A razão está nas ações iniciadas há seis, ainda na primeira gestão de Renan Filho. “Nós fizemos um ajuste de contas públicas que visou reduzir despesas, aumentar receita e reduzir o endividamento público de Alagoas, sobretudo pela renegociação da dívida que o Estado tinha com a união, esclareceu o governador. 

Para o secretário George Santoro, a saldo também é fruto de um amplo trabalho de reestruturação do Estado, que envolve a modernização da gestão e organização de processos. “Hoje, todo o governo esta trabalhando de forma digital, mesmo na pandemia, com tudo funcionando”, exemplificou. 

Funcionando e aumentando expressivamente a capacidade de investimento ao longo dos anos. Responsabilidade capitaneada, segundo o chefe do Executivo estadual, pelo secretário George Santoro, ao lado da “participação decisiva” do secretário Fabrício Marques.  

“A gente tem por um lado um programa robusto de novas obras (estradas, escolas, Centros Integrados de Segurança, hospitais, aeroporto). Por outro lado, lançamos o maior programa social que Alagoas já teve, o CRIA – agora temos outro programa de infraestrutura importante que é o Minha Cidade Linda –, um programa robusto de novos concursos públicos e a valorização do servidor por meio do pagamento da folha salarial em dia. Isso tudo, reunidamente, demonstra a solidez fiscal de Alagoas”, discorreu Renan Filho. 

Com um governo responsável do ponto de vista fiscal, a atual gestão consegue realizar investimentos sociais ao passo que “faz o alagoano realizar sonhos antes inimagináveis”, como pontuou o governador. “Eu espero levar isso adiante porque está em construção uma Alagoas nova, muito melhor que a Alagoas do passado”, finalizou.