Notícia

PLANEJAMENTO, GESTÃO E PATRIMÔNIO

Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio
Sexta, 08 Outubro 2021 12:02
VALORIZAÇÃO

Demanda histórica: novo PCCS garante aumento médio de 40% no salário inicial dos profissionais da Educação

No novo desenho do Plano, salário inicial dos professores deve ir de R$ 4.500 e chegar até R$ 7.172 ao final de carreira

Secretários escolares e aposentados também se beneficiarão com a mudança Secretários escolares e aposentados também se beneficiarão com a mudança Jonathan Lins
Texto de Minne Santos e Severino Carvalho

Anunciado pelo governador Renan Filho, o novo Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) vai garantir aumento médio de 40% no salário inicial dos profissionais da Educação, em Alagoas. O documento atende a uma demanda histórica da categoria e não era revisado havia mais de 10 anos. A atualização do importante instrumento faz parte de uma série de ações que visam levar avanços e fortalecer toda a rede pública de ensino do Estado.

“Essa é a maior modificação na carreira do professor de todo o período recente e, talvez, do país inteiro, justamente nesse momento de retomada das aulas presenciais”, destacou Renan Filho, em live (transmissão ao vivo) recente.

No novo desenho do Plano, o salário inicial dos professores deve ir de R$ 4.500 e chegar até R$ 7.172, ao final de carreira, para aqueles que possuem doutorado. Dessa forma, além da implementação do aumento, o Estado promove uma possibilidade maior de progressão para a categoria. 

“É um passo significativo para os trabalhadores da Educação. Esperamos que todos sejam contemplados ainda em 2021 e que esse projeto continue não como uma política de governo, mas de Estado, mantendo esse canal de diálogo aberto com o sindicato. É muito importante também que os prefeitos e demais gestores públicos tenham isso como um exemplo de valorização desses profissionais”, pontua a presidenta do Sindicato dos Trabalhadores da Educação de Alagoas, Consuelo Correia.

Na atualização do documento, os profissionais que ingressaram com nível médio e que recebiam um salário inicial de R$ 1.122, vão passar a receber R$ 1.600 no início de carreira e poderão progredir até um salário de R$3.734. Já os que entraram no Estado com nível fundamental, vão passar a ter um salário de referência inicial de R$ 1.350, chegando em R$ 3.150 ao fim de carreira. Os secretários escolares também se beneficiarão com a mudança, que poderá promover um incremento salarial de até 55% para a categoria. 

Professor da Escola Doutor Miguel Guedes Nogueira, o alagoano Régis de Souza é um dos tantos servidores que serão contemplados pelo Plano. Ele comenta que a iniciativa demonstra a preocupação que o Governo do Estado tem para com os trabalhadores da área e que vem num momento importante para a categoria, marcando o regresso às atividades presenciais nas escolas.

“Fico muito feliz de perceber esse novo olhar no nosso PCCS, que há mais de 10 anos não era revisado. Com a pandemia, ficou mais evidente ainda a importância que o professor tem na sala de aula. Pra gente, é gratificante esse reconhecimento, que vem para estimular e fazer com que tenhamos mais garra junto aos estudantes da rede pública”, comenta o professor. 

Para o secretário titular do Planejamento e Gestão, Fabrício Marques Santos, o novo Plano é parte de um conjunto de ações que tem dado um outro caminho para a Educação de Alagoas, reposicionando-a de forma transformadora no cenário nacional. 

“É uma construção longa entre o Estado e as categorias e que tem como objetivo a valorização desses profissionais. Construímos um dos melhores planos entre todos os estados brasileiros, com um salario inicial que vai estar entre os maiores do país. É um projeto ousado e que sinaliza o valor que o governo Renan Filho tem dado para a Educação. Não existe outra forma de sonhar com um futuro promissor senão por meio dela”, pontua o titular da Seplag.