Notícia

PLANEJAMENTO, GESTÃO E PATRIMÔNIO

Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio
Quinta, 07 Fevereiro 2019 16:59
REFORÇO

Aprovados no concurso da Educação falam de expectativa para trabalhar na rede pública

Mais de 800 novos professores devem contribuir para melhoria dos índices educacionais do Estado

Candidatos passaram por série de exames admissionais na Perícia Médica do Estado para garantir aptidão no certame Candidatos passaram por série de exames admissionais na Perícia Médica do Estado para garantir aptidão no certame (Fotos: Valdir Rocha e Minne Santos)
Texto de Minne Santos

Realizado no ano passado, o concurso da Educação, assim como os demais elaborados pelo Governo de Alagoas, vem mudando a vida de diversos cidadãos. Para se ter uma ideia, a partir deste ano, mais de 800 novos professores passam a colaborar para o desenvolvimento da educação pública no Estado. Para cada um deles, essa é a oportunidade de mudar de vida e colocar em prática anos de estudos e dedicação pela profissão.

É assim com Aparecido Oliveira. O professor de Filosofia terminou a faculdade em 2015, iniciou uma pós-graduação e, desde então, aguardava concursos para exercer a profissão. Aprovado no primeiro para o qual concorreu, ele conta que não vê a hora de ir para a sala de aula.

“O concurso público é uma segurança maior, nos dá mais estabilidade. Como em governos passados tivemos poucas iniciativas nesse sentido, continuei me qualificando. Cursei e terminei um mestrado em Educação Brasileira e atualmente sou doutorando. Agora, tenho a chance de materializar todo o contexto de formação adquirido ao longo desses anos de preparação e estudo. É um sonho”, afirma.

A relação com a prática docente, na vida de Aparecido, significa, sobretudo, uma chance de fazer da sociedade um espaço mais igualitário e, principalmente, mais humano. E quando o assunto é a educação pública, o professor é só gratidão e vontade de retribuir o que aprendeu na vida.

Candidatos passaram por série de exames admissionais na Perícia Médica do Estado para garantir aptidão no certame (Fotos: Minne Santos e Valdir Rocha)

“Devo tudo o que sou à educação pública. Minha formação no ensino básico e superior se deu a partir dela. Ela ressignificou a minha vida. Eu não teria como pagar uma escola particular. Não estaria fazendo nada relevante se não pudesse contribuir também com a transformação da vida de tantos alunos que, como eu, um dia acreditaram na educação como promessa de mudança de vida. Estamos falando de reconstrução de narrativas de vida. Sou prova viva disso”, conta Aparecido.

E não foi só de alagoanos que o certame da Educação atraiu olhares. Muitos professores de estados vizinhos também viram no concurso uma oportunidade de crescer profissionalmente e, ao mesmo tempo, contribuir para o desenvolvimento educacional do Nordeste. É o caso de Josana Maria de Santana, a professora de Matemática que veio da Bahia para tentar a vaga no certame e conseguiu a sonhada aprovação.

“Sou concurseira, amo estudar e sempre me dediquei muito para garantir a minha vaga. Já tenho anos de experiência na área da Educação e não podia estar mais realizada nesse momento”, afirma Josana.

Joana de Carvalho, por outro lado, veio de Sergipe, é professora de Artes há dois anos na rede privada e vai ter o primeiro contato com a educação pública. “A expectativa para entrar no funcionalismo alagoano é grande. Na rede pública, nós temos mais liberdade para trabalhar com os alunos e, principalmente, temos a possibilidade de entregar algo bacana e significativo para a comunidade”, explica.

Próximos passos

De acordo com o secretário do Planejamento, Gestão e Patrimônio, Fabrício Marques Santos, titular da secretaria que organizou o concurso público, não vai demorar para que o Aparecido, a Joana e a Josana coloquem em prática os anos de preparação para o processo de ensino-aprendizagem. A expectativa, segundo ele, é que esses e os demais professores aprovados no certame sejam, logo logo, agentes centrais da transformação da sociedade alagoana.

“Um concurso como esse gera oportunidades tanto para os professores, quanto para os milhares de estudantes que serão beneficiados com uma educação pública de qualidade, feita por profissionais qualificados e ansiosos para dar o melhor de si. Estamos muito felizes por reafirmar, mais uma vez, o compromisso que temos com a Educação do nosso Estado e esperamos ver esses professores em breve em nossas escolas”, pontua Fabrício Marques.

Segundo o governador do Estado, Renan Filho, os professores aprovados devem ser distribuídos entre as 13 Gerências Regionais de Ensino (Geres) para que possam, já neste início de ano letivo, entrar em sala de aula. De 11 a 15 de fevereiro, eles devem comparecer à Superintendência de Valorização de Pessoas (SVP) da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) para o ato de posse.

“Com o concurso, temos um incremento significativo no corpo docente da rede pública e conseguimos atender com mais eficiência todas as regiões de Alagoas. É um grande passo para a melhoria contínua que queremos ver na educação do Estado e só reforça esse novo momento em que vivemos, com transformações que fazem toda a diferença para a área”, afirma o governador.